Números e palavras sobre mais uma tragédia em Petrópolis

0 0

EDITORIAL

31 mortos.

1.463 pessoas desabrigadas.

366 famílias sem casa.

1,2 % foram gastos pelo governo do estado dos investimentos previstos.

4,5 milhões foram investidos pelo governo federal, estadual e pela prefeitura, dos cerca de 120 milhões anunciados.

Sérgio Cabral diz (mais uma vez) que vai ajudar.

A presidenta Dilma diz que as pessoas não podem morar em área de risco, mas não investe absolutamente nada para que essas pessoas possam morar dignamente.

O  ex-prefeito de Petrópolis, Paulo Mustrangi, do PT da Dilma, diz que o governo federal é muito burocrático e que por mais que ele tenha tentado (existem 4 projetos em Brasília), não conseguiu sensibilizar o governo federal e fazer as obras que a cidade precisa.

O atual prefeito, Rubens Bomtempo (olha que sobrenome), que já governou Petrópolis de 2000 a 2008, diz que esta dando continuidade a busca por esses projetos deixados pelo antecessor.

RELEMBRANDO: no primeiro dia do seu mandato, em janeiro de 2001, o prefeito Rubens Bomtempo sofreu com uma enorme tragédia causadas pelas chuvas, principalmente no bairro Quintandinha. 12 anos depois a história se repete e, mais uma vez, o saldo é o mesmo. Mortes, desabrigados, desalojados e promessas.

Muitas promessas…

Até quando? Até quando vamos aturar isso?

Leave A Reply

Your email address will not be published.