Itaboraí: Obras de construção do Centro de Comércio Popular de Itaboraí começam no mês que vem

0 0

Ambulantes sairão da informalidade e microempreendedor terá acesso a linha de crédito

Foto: Coordenadoria de Comunicação Social
Foto: Coordenadoria de Comunicação Social

Os ambulantes que comercializavam, de forma irregular, suas mercadorias no Centro de Itaboraí terão nos próximos meses um novo local para trabalhar com mais dignidade e conforto. As obras de construção do Centro de Comércio Popular (CCP) começam no próximo mês com previsão de conclusão em 90 dias. A área de mil metros quadrados na Avenida 22 de Maio, centro da cidade, já foi desapropriada pela Prefeitura, que vai organizar o comércio ambulante, com a padronização das barracas. O novo espaço também irá permitir que as calçadas sejam utilizadas livremente pelos pedestres, o que não estava acontecendo.

Segundo o vice-prefeito e secretário municipal de Desenvolvimento Social, Audir Santana, os ambulantes do Centro de Itaboraí, que são moradores da cidade, ocuparão os 138 boxes distribuídos em três pavimentos.

“O objetivo é tirar os ambulantes da informalidade. O Centro de Comércio Popular de Itaboraí (CCP) terá escadas, rampas para deficientes, banheiros, luz, gás, lixeiras, segurança e outros equipamentos, além de sistema de ventilação adequado ao empreendimento. Ao todo serão 112 boxes de 1,25m x 2,50m cada e os demais, destinados à venda de alimentos, terão 2m x 2m cada”, disse Audir Santana.

Audir lembrou que na ocasião da assinatura do decreto nº 12/2013 de desapropriação do imóvel, transformando-o em área de utilidade pública, o prefeito Helil Cardozo declarou que haveria espaço para o microempreendedor e que a Prefeitura iria liberar crédito para quem quisesse adquirir equipamentos.

“Tenho a certeza de que o novo espaço permitirá avançarmos na concessão de créditos para os ambulantes. Este projeto é inovador  e trará conforto e segurança tanto para os vendedores quanto aos consumidores”, reforça Audir.

Outros CCPs serão construídos em Manilha e Apolo dentro do projeto Camelô Legal da secretaria municipal de Desenvolvimento Social. A exemplo do Centro da cidade, as instalações serão ocupadas exclusivamente por ambulantes que moram em Itaboraí e que terão sempre que comprovar a procedência das mercadorias colocadas à venda. “Pirataria e contrabando não terão espaço no nosso Centro de Comércio Popular”, garantiu o vice-prefeito.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social

Leave A Reply

Your email address will not be published.