Educação: Itaboraí reforça atendimento a estudantes com dificuldade na aprendizagem

0 2

Clique Aqui e Curta o CN no facebook!

Clique Aqui e Siga o CN no Twitter!

Quase 600 alunos são acompanhados por psicólogos, psicopedagogos, fonoaudiólogos, assistentes sociais e fisioterapeutas

Alunos em atendimento com a pedagoga.
Alunos em atendimento com a pedagoga.

 

Cerca de 600 estudantes da rede municipal de Itaboraí têm algum tipo de dificuldade de aprendizagem. O mapeamento, feito pela Secretaria Municipal de Educação nas 87 escolas da rede, serve de base para que a Prefeitura ofereça atendimento diferenciado e acompanhamento com piscólogos, psicopedagogos, fonoaudiólogos, assistentes sociais e fisioterapeutas nos três polos no Núcleo de Atendimento Psicopedaqógico da Educação Municipal (Napem), em Nancilândia, Manilha e Bairro Esperança.

Hiperatividade, dificuldades de concentração, memorização e socialização são apenas alguns dos fatores que, segundo especialistas, podem interferir no rendimento do aluno na escola. Nos polos do Napem, os atendimentos são realizados uma vez por semana, durante 30 minutos de forma individual, e de até 1 hora para atividades em grupo.

Além dos estudantes, os responsáveis também passam por consultas com assistentes sociais e participam, se desejarem, de oficinas de artesanato, enquanto os alunos estão em atendimento. De acordo com a diretora do Napem do bairro Nancilândia, Clara Pereira, o acompanhamento especializado é necessário dentro da Rede Municipal de Ensino porque, geralmente, as crianças com dificuldades de aprendizagem tendem a apresentar constantes desmotivações com as tarefas escolares. As dificuldades variam, tendo em vista que inúmeros fatores interferem no desenvolvimento do estudante.

“É visível o progresso do estudante no decorrer do tratamento. É um acompanhamento voltado para as dificuldades do aluno e também da família, pois, além dele, temos que trabalhar o meio onde convive”, lembra Clara Pereira.

Segundo a psicopedagoga Alexandra Goulart, que presta atendimento para o município, no momento em que o profissional da educação identifica alguma dificuldade na criança, ela é encaminhada automaticamente para uma das unidades do Napem. Para Alexandra, alguns sintomas ajudam os professores a justificar o baixo rendimento do aluno, como problemas na linguagem, de memória, de concentração, na escrita e até mesmo na coordenação motora.

“Quando um aluno apresenta essas características, o profissional da educação deve levar essas observações aos pais. Em seguida, os responsáveis são orientados a buscar informações conosco. Inicialmente, a equipe do Napem faz um levantamento de informações socioculturais, familiares e históricas do aluno. Somente então, inicia o acompanhamento de acordo com a necessidade”, destacou a especialista.

Jogos a serviço do conhecimento

Uma das técnicas utilizadas pelos profissionais do Napem para melhorar a memória e o raciocínio das crianças é a utilização de jogos lúdicos. O método consiste na realização de exercícios práticos, como repetições que estimulam as funções cerebrais.

“Essas atividades reforçam a percepção, a atenção e dão continuidade ao trabalho realizado na escola. Os efeitos são percebidos diretamente na escrita, leitura e no interesse da criança pela escola”, esclarece Alexandra Goulart.

Segundo a dona de casa Maria de Lourdes, 61 anos, avó de Deyverson Leal, de 11 anos, o neto vem apresentando significativos avanços, desde que iniciou o tratamento.

“Ele tinha muitas dificuldades de atenção, baixo rendimento na escola e, com  a ajuda dos profissionais, vem evoluindo bastante. Fazemos de tudo para não faltarmos nenhuma semana”, destacou Maria.

Para a moradora de Venda das Pedras Carla Regina Ramos, 42 anos, o acompanhamento foi crucial para que seu filho, Flávio Ramos, de 13 anos, melhorasse o relacionamento com os outros estudantes.

“Esse atendimento exclusivo faz toda diferença. Tudo o que ele quer é atenção e por isso mesmo, é o primeiro a querer vir para cá e participar dos encontros”, disse Carla.

Polos do Napem

Nancilândia: Rua Raimundo Leone dos Santos, nº 35

Manilha:  Rua Gilberto de Carvalho, Lt 1,  Qd 15

Reta: Rua Pedro Ferreira Pinto, Lt 16, Qd 26

 

Por: Assessoria de Comunicação Social – PMI

Leave A Reply

Your email address will not be published.